Acéfalos: Março 2009

segunda-feira, março 23

Mis En Scene da ONU pró Palestina

Israel tem feito muito bem o seu papel nessa Guerra Mundial. Considedro os ataques judeus aos palestinos entre 27/12 a 18/01 como o último ato do facínora George Bush.

Agora vamos ver qual será o posionamento de Obama. Será que ele trocará as fortunas dos bancos judeus por um ato de justiça?

Relator da ONU denuncia Israel por crimes de guerra em Gaza

Genebra, 20 mar (EFE).- O relator da ONU para os territórios palestinos, Richard Falk, afirma que há indícios legais de que Israel cometeu crimes de guerra em sua recente ofensiva em Gaza e pede que um grupo de analistas averigue sua denúncia.

Em seu relatório ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, que apresentará na segunda-feira, Falk conclui que a ação militar israelense em Gaza não estava legalmente justificada e foi potencialmente um crime de guerra.

Segundo Falk, se não é possível distinguir entre os alvos militares e os civis, como define as condições de Gaza, "então lançar os ataques é inerentemente ilegal e poderia constituir um crime de guerra da maior magnitude sob a lei internacional".

Seu relatório afirma que "os ataques se dirigiram a áreas densamente povoadas, (...) sendo previsível que hospitais, escolas e igrejas e sedes da ONU fossem atingidos pelos bombardeios israelenses, causando numerosas vítimas civis".

Um segundo agravante para Falk é o fato de que todas as fronteiras da faixa de Gaza ficaram fechadas, de forma que "os civis não podiam escapar dos locais atacados".

"Em uma política beligerante sem precedentes, Israel rejeitou a permissão a toda a população civil de Gaza -com a exceção de 200 mulheres estrangeiras- de abandonar a área de guerra durante os 22 dias de ataques que começaram em 27 de dezembro", acrescenta em seu relatório.

"Ao fazer isto, crianças, mulheres, doentes e incapacitados foram incapazes de fugir das operações militares de Israel, e esta condição se agravou pela ausência de locais para se esconder em Gaza, dado seu pequeno tamanho, sua densa população e a ausência de refúgios naturais ou construídos pelo homem".

Na ofensiva, morreram 1.434 palestinos, dos quais 235 eram combatentes, 239 policiais e 960 civis, entre eles 288 crianças e 121 mulheres, segundo as autoridades de Saúde do Governo do Hamas.Além deles, 5.303 palestinos foram feridos, entre eles 1.606 crianças e 828 mulheres, enquanto 21 mil imóveis foram gravemente danificados, segundo a mesma fonte.

O relator rejeita a defesa israelense de que a ofensiva ocorreu em resposta aos lançamentos de foguetes do Hamas contra seu território.Segundo Falk, "durante o período de cessar-fogo dos meses anteriores, foi predominantemente Israel quem o violava, e o Hamas quem respondia (...) em 79% dos casos".

Em um desses casos, em novembro, um ataque israelense matou seis integrantes do Hamas, que, segundo Israel, faziam um túnel para sequestrar soldados como Gilad Shalit, refém do grupo que controla a faixa de Gaza desde 2006.A ofensiva israelense em Gaza, que durou de 27 de dezembro de 2008 a 18 de janeiro deste ano, ocorreu, no entanto, após ataques do Hamas, que rejeitou a prorrogação do cessar-fogo que iria até 19 de dezembro e passou a lançar foguetes contra o território israelense três dias antes.

Na conclusão de seu relatório, Falk propõe uma investigação por "três ou mais respeitados especialistas em leis internacionais de direitos humanos e lei criminal internacional", acrescentando que devem ser examinados igualmente os lançamentos de foguetes pelo Hamas.Falk acredita que podem se aplicar as jurisprudências dos principais tribunais internacionais (ex-Iugoslávia, Ruanda e Tribunal Penal Internacional).

Fonte: Notícias UOL em 20/03/09

sexta-feira, março 20

O drible contra a Morte (Parte IV) Reedição

Epílogo

Não era minha intenção falar de política neste tema de "driblar a morte", mas infelizmente escrevo assim, como as coisas me batem.
Talvez seja lembrado assim. Como diz um amigo meu: "Acho interessante seu jeito sincero e ingenuo de falar com a gente".

E é dessa forma que escrevo. É dessa forma que vivo. Talvez eu seja lembrado por isso. Talvez seja lembrado por ser utópico. Por ser nostálgico, como na criação desse site. Por ser um falso rebelde com causas verdadeiras.

Esse site é a prova de que existe reencarnação. É a reedição do jornal punk anarquista chamado "Cagatório Geral" no qual escrevia há 15 anos atrás, e como naquela época, não tem periodicidade certa, quando senta sai.
Ziraldo fez o mesmo quando reeditou o "Pasquim" com o periódico "Bundas" (anti-CARAS): o melhor jornal que tinha nas bancas.

Texto Original (2007)
Já refleti anteriormente sobre a escolha: "Uma Obra, ou um destino humano" em que na maioria das vezes as pessoas em falsa modéstia responde que gostaria de uma destino humano.
Acredito que há pessoas que optam por um destino humano verdadeiramente. Mas o que leva alguém a ser Homem Público?

Homens públicos são perseguidos pela posteridade, Uma Obra. Não há como fugir disso.
Um exemplo clássico é a vida de Itamar Franco. Itamar era o escolhido por Tancredo Neves para ser seu vice na chapa para presidente em 1985. Itamar trancou-se em sua casa por semanas, não atendeu telefonemas de seus partidários pois sentia medo, fugia do centro das atenções. Bom, com isso quem assumiu a presidência foi José Sarney.
Quatro anos depois o mesmo Itamar se aventura na chapa do partido nanico PRN como vice de Collor. Itamar resolveu participar para ganhar favores políticos no Planalto e não necessariamente em busca de poder. Mas eis que a sina lhe perseguiu e se sagrou presidente após o impeachment.

Há aqueles que perseguem a posteridade querendo deixar a marca de seus ideais:
Neste caso coloco o caso de Hitler que seguindo a causa de uma Alemanha Nacional Socialista voltado para seus cidadãos arianos, perpetrou a mais sangrenta das guerras. Marcou seus ideais até a morte.

Há aqueles que perseguem a posteridade por um falso ideal e sucumbem:
O caso de Lula. Perseguiu o imaginário popular de Salvador da Pátria. Seu partido vestiu a batina da ética política. Foi o maior crítico das políticas neo-liberais predadores capitaistas.
Quando após 25 anos de luta, trocam de roupa e vestem a batina do adversário. A posteridade de Lula será: Aquele que era para ser mas acabou sendo muito pior.

Há muitos casos de posteridade que eu poderia descrever aqui mas o que quero dizer é que as vezes as pessoas fantasiam frases para seus túmulos: Grande político, Herói Ariano, Salvador do Povo.

Existe um marca que fica independente de nosso desejo no mundo depois que partimos.

Será que Hitler esperava ser um nome odiado pelo mundo inteiro? Não. Com certeza ele espera acabar a guerra sendo aclamado.

Será que Itamar esperava ser o sustentáculo da democracia no Brasil após o impeachment? Não. Acredito que esperava ser eleito em 1994 como senador e assim continuar até hoje.

Será que Lula esperava transformar a política em algo tão indigesto e acabar com a confiança do povo nas instituições públicas? Com certeza não. Ele acreditava que ninguém vazaria nada e iria se perpetuar no poder por 8 anos sendo sucedido por Zé Dirceu por mais 8 anos.

Seguimos na ilusão de nossos sonhos muitas vezes sem perceber em quem nos transformamos. A idade, o trabalho, as exigências do cotidiano, as mudanças de papeis dentro da família e na sociedade. Talvez isso explique porque Itamar hoje é tão arrogante, porque Hitler se perdeu em sua loucura e porque o poder corrompeu Lula.

Adição (2009)
Nas circunstâncias mais otimistas dos predestinados, temos a história de dois atletas: Lance Armstrong e Ronaldo Nazário (o Fenômeno).

Ronaldo foi apelidado de fenômeno, pela explosão muscular e talento para driblar e colocar a bola na rede como poucos. Mas seu maior feito foi o fenômeno da recuperação. Na Copa de 1998 teve uma convulsão, mas no ano que se seguiu foi eleito o melhor jogador do mundo.

Em 1999 teve a primeira lesão permanente no joelho e todos tinham a carreira dele por terminada. Se recuperou em 6 meses e em 2000 sofreu o rompimento do tendão do joelho e foi novamente decretada sua aposentadoria.

Em 2001 retornou ao futebol e após 6 meses jogando foi convocado para Copa do Mundo, da qual fez o gol da vitória contra a Alemanha na grande final consagrando-se novamente um fenômeno.

Durante os anos que se passaram seu futebol passou a ser mais discreto, mas mesmo assim considerado importante para os clubes em que passou e eis que no início de 2008 é acometido de mais uma lesão no tendão do joelho e sua aposentadoria novamente é decreta por todos, menos por ele.

Um ano depois, Ronaldo volta à cena pelo Corinthians, e com certeza ele aos 17 anos, quando saiu do Cruzeiro para ir para o PSV, ele nunca poderia imaginar os obstáculos que teria que superar. E mostrou ao mundo que ele sempre ressurgirá.

Veja a hstória de Lance Armstrong, que após utilizar anabolizantes contraiu cancer nos testículos, pulmão e cérebro, os médicos lhe deram 50% de chances de sobrevivência quando interrompeu sua carreira de campeão mundial de ciclismo. Nesse momento ele havia vencido 6 vezes a Volta da França, competição mais importante da categoria.

Após 1 ano e meio de tratamento voltou a competir e em 2005 venceu novamente a prova, contrariando as expectativas dos médicos, da imprensa e até dos fãs.

quinta-feira, março 12

Barril de Pólvora!

Às vésperas do 6° aniversário da ocupação americana ao Iraque, é sempre bom fazer algumas reflexões sobre o saldo do conflito.

Saddan Hussein, foi apoiado por Ronald Reagan para assumir o poder no Iraque em 1979 com a missão de não deixar governos xiitas, pró Irã, se fortalecerem na região.
Saddan conseguiu a façanha de modernizar o país, em infra estrutura, saneamento básico e em educação.
Cumpriu o dever de manter os xiitas quietos, enfrentou o Irã com por 5 anos e tentou expulsar os curdos do país (seu grande equívoco que lhe valeu a sentença de morte).

Em 1989, Saddan queria retomar a região do Kweit para o Iraque e quando percebeu que a OTAN não apoiaria, resolveu agir por conta própria (território que lhes foi tirado na divisão da 2° guerra) .
Como muitos petroleiros europeus e americanos possuíam poços no Kweit, os mocinhos EUA declararam guerra ao Iraque em 1991.

Daí por diante houve o rompimento da aliança entre os dois países. Os EUA criaram embargos econômicos e controle de produção de armas até culminar na sede de petróleo de Bush e os republicanos (acionistas em empresas de petróleo e armas), para adquirir mais esse mercado.

Dois meses antes do ataque de 20/03/2003, Os EUA presssionaram a ONU para liberar o ataque ao Iraque sob o pretexto que o país escondia armas de destruição em massa e financiavam a Al Qaeda.

O primeiro ataque ocorreu em 20/03/2008 com transmissão ao vivo para todo o mundo.
Os alvos daquela madrugada foram: O parlamento, quartéis, hospitais e a biblioteca nacional de Bagdá (patrimônio da humanidade e mais antiga do mundo).

Seis anos depois e nada foi encontrado.

A guerra custou até hoje a bagatela de 1 trilhão de dólares somente no conflito contra o Iraque. Custou cerca de 5 mil soldados norte-americanos e cerca de 100 mil civil foram assassinados, sem contar os que morreram por falta de comida ou de assistência médica.

Os americanos apoiaram os fracos xiitas (Jalal Tabalani e Nouri al Maliki) do Iraque a assumirem o poder... assim como apoiaram o fraco sunita Saddan no passado...

segunda-feira, março 9

Economia Xiita x Ocidente

Tanto o Capitalismo, como o Comunismo sofrem entraves pelo desperdício de recursos com burocracia gerando corrupção e dificuldades para que o dinheiro chegue à população.

Além de que o dinheiro circulante acaba sendo recolhido por duas ordens: O Estado e a Igreja.
Os impostos para o Estado sobre tudo aquilo que se produz e tudo aquilo que se adquire arroxa a massa assalariada, além das declarações de imposto de renda. E o Dízimo da igreja, que corroi ainda mais a receita do povo pobre.

A igreja católica utilizou da separação entre Estado e Igreja (idéia revolucionária à 2000 anos atrás) para lançar seus tentáculos para todas as partes do mundo. E usar da esperança da vida eterna para angariar seus tostões.
Os governos gostaram da idéia, pois se é mais importante o além vida, há uma boa desculpa para o sofrimento e a pobreza por aqui.

No modelo Xiita é recolhido apenas o dízimo das pessoas físicas e uma alíquota sobre a indústria e pronto. Reduzindo o aparato do Estado e uniformizando as taxas para todos. A igreja não precisa fingir isolamento do Estado e vice-versa.

É claro que não é um paraíso. Mas a população só é roubada uma vez.

Os Aiatolás recolhem o dinheiro que é distribuido entre as famílias dos xeiques e a igreja. Sobra algumas migalhas para infra-estrutura do país e só.

No modelo xiita não existe amparo do Estado ao cidadão. Existe sim, o amparo da Igreja ao cidadão que tem que obedecer às ordens dos sacerdotes até a lavagem cerebral. Levando a população a agir de forma obediente sem revoluções.

Funciona?
Sim. Uma vez que há manutenção da paz, da ordem, da diminuição da violência...

É errado?
É, afinal de contas, cerca de 70% do povo muçulmano xiita é analfabeto, não tem saneamento básico, nem o mínimo de comida para subsistência.

Mas funciona bem, pois o povo trabalha com vontade e com a motivação de garantir o mínimo para se manter vivo: comida e roupas.

Resumindo o Ocidente, este passa ser um grande teatro. Todos vestindo fantasias e decorando suas falas, prometendo mudar tudo para continuar tudo como está.

A crise norte-americana é prova da ilusão do capitalismo, com suas apostas na bolsa para ver quem vale mais dinheiro, e que no fundo, nada é tangível.
E quando a brincadeira acaba, porque alguém "levou a bola embora", o mundo desaba, pois o modelo não se sustenta.

terça-feira, março 3

O Drible contra a Morte (Parte III) Reedição

Anteriormente escrevi sobre a possível eternidade que terá o ser humano com a evolução da ciência.
Mas você já pensou quanto vale uma pessoa morta?
Um morto tem o valor de sua herança. Quiçá no futuro valerá seus órgãos que serão vendidos para transplante.

Mas tem algo que transcende essa visão. Um morto vale seu legado, seu destino, sua obra. Ouvi muito o ator/diretor Antonio Abujamra perguntar: O que é mais importante para você um destino humano ou uma Obra?

A grande maioria dos convidados respondiam humildemente: "Prefiro um Destino Humano". Mas será verdade? Será que todos nós não temos a ambição de deixar uma obra? Não peço para serem vaidosos, mas serem orgulhosos por suas vidas honradas.

Para o morto, após a morte, nada mais resta a não ser a honra. Não é necessário deixar uma grande obra (vide capítulo anterior). As vezes a retidão de sua conduta deixará um legado - "Aquilo que te move".

Esqueçamos a falsa modéstia descritas pelos convivas do Antonio Abujamra. Segundo Nietzche, o que move o ser humano é a "Vontade de Poder". Isso não quer dizer que o cara quer dominar o mundo. Na verdade, mostra que o ser humano é um ser desejante e vai em busca de poder conhecer e dominar aquilo que o move.

A cada dia ouço mais e mais pessoas fantasiando com seus funerais e a maioria me diz: Quem irá no meu funeral, acredito que não haverão muitas pessoas, como vão se lembrar de mim?

A resposta é que pode ser que muitos te esqueçam realmente, e logo após sua morte te transformarão em santo. Todos os mortos são ótimos pais, mães dedicadas, chefes maravilhosos e políticos honestos.

Quanto vale um vivo?O vivo nem sempre trás lucro. Muitas vezes ele é o prejuízo de uma família. Exemplos:
1 - Filho viciado em drogas, rouba sua família para sustentar o vício. Gasta a comida, as roupas, destroi a vida dos próximos, etc.
2 - A criança nasce, investe-se amor, roupas, fraudas, escola, médico na infância. Muitos destes gastos se perpetuam na adolescencia como livros, faculdade, brinquedos, jogos, hobbys. Na vida adulta todo esse investimento vira o futuro trabalho do indivíduo. Mas Tudo o que ele trabalhar durante sua vida vai pagar todo o investimento anterior? E se ele fizer faculdade mas escolher ser pescador?
Pode parecer prejuízo, não é?! Mas o lucro estará no sonho da evolução da família. Minha avó era doméstica e faleceu analfabeta Minha mãe é advogada, eu sou um psicólogo anarquista. Mas nem por isso considero um prejuízo. Pois a evolução do pensamento, da formação ideológica aliadas às atitudes valem o investimento.

E você prefere um Destino Humano ou uma Grande Obra?

segunda-feira, março 2

Assitencialismo - A Sombra de uma Sociedade

Inegável que temos uma sociedade desigual.

Inegável também que o Poder Público tem uma dívida com os miseráveis que data desde o século XIX com o advento de colonos europeus e com a abolição da escravatura.

Porém o que vivemos na atualidade é a distorção dos valores morais e cívicos.
Assistindo a matérias de televisão e ouvindo alguns relatos das pessoas que recebem as Bolsas do Governo temos as histórias a seguir:

Em conversa com uma empregada domética:
"A mesma conta que possui uma amiga que vive zombando dela porque trabalha. A amiga recebe do governo Bolsa Família para 3 filhos (R$ 210,00) mais Rena Mínima (R$ 70,00), mais Cesta Básica para 3 filhos (equivalente à (R$ 240,00),somando R$ 520,00. Essa mesma amiga mora na favela onde não paga contas de luz, água e IPTU. A amiga não trabalha, fica o dia inteiro em casa ou no bar."

Em conversa com uma ex-moradora de favela:
"As pessoas não querem saber de mais nada a não ser receber o dinheiro do governo. Tem homem que pega o dinheiro da Bolsa família dos filhos e gasta tudo em pinga, espetinho e forró. Pra que ele vai querer outra coisa, se trabalhar com carteira assinada ele perde o benefício e o que ganhará se salário no fim do mês é menos do que o auxílio."

Em matéria veiculada no Fantástico da última semana (01/03/2009):
"Entrevistadora: É difícil arrumar emprego aqui?
Maria: Vige. Aqui não existe isso para pobre, não.
José e Adelma também são desempregados, como quase todos em Manari. Vivem com o dinheiro de benefícios do governo e ajuda de parentes."

Em 2004: Família recebe a Bolsa do Governo e divide o recurso com vizinhos:
"Numa cidade do interior da Bahia uma família que recebe o Bolsa Família já possui uma pequena granja. Pois com o dinheiro comprou galinhas e agora vendem ovos e galinhas criadas no seu terreno.
Como não sentiam tanta necessidade da Bolsa, no mês seguinte emprestou o cartão para o vizinho que com o dinheiro comprou mudas de feijão e frutas.
No mês seguinte emprestaram a outro vizinho que comprou uma roca e linha para costurar e já estão se desenvolvendo.
Esse é um case de sucesso do programa que apesar de paternalista, há quem utilize para sair da condição de dependente para independente da ajuda do governo.

Apesar de condenar esse programa, fico pensando que pelo menos 1 (uma) família fez um uso tão exemplar do dinheiro público. Como fazer para que fosse sempre assim, para gastarmos menos na luta da desigualdade e arroxo de impostos e gastar mais com infra estrutura do nosso país.