Acéfalos: Dadaísmo, Surrealismo e Anarquia

terça-feira, junho 27

Dadaísmo, Surrealismo e Anarquia

Há alguns anos atrás explodiu um hit nas rádios o qual considero um ícone moderno do Dadaísmo: Florentina de Jesus do Tiririca.
É claro que estamos falando de um palhaço que gravou um CD e que fez sucesso com o esdrúchulo. Mas tanto o personagem como a música são expressões anarquistas, mesmo sem ele saber.



Seu personagem é marcado por contar histórias de improviso saído de sua mente naquele exato momento, sem filtros morais e tratando de assuntos diversos, as vezes bizarros (como uma cena de amor em que ele jogava um tijolo em sua amada como prova do seu amor).
Cenas como essa, sem sentido claro são vistos nos filmes surrealistas e na literatura.

Dadaímo: Nasceu antes do Manifesto Surrealista, ou seja, se organizaram um pouco antes apesar das idéias já serem discutidas.
O Dadaísmo é caracterizado pela oposição por qualquer tipo de equilíbrio, pela combinação de pessimismo irônico e ingenuidade radical, pelo ceticismo absoluto e improvisação. Enfatizou o ilógico e o absurdo. Ícones desse movimento: Tristan Tzara, Marcel Duchamp, Guillaume Apollinaire, Hugo Ball.
No Brasil os simpatizantes usaram o próprio nome, que diz, Dadaísmo é o retorno a ingenuídade sendo "Dada" a linguagem dos bebês. Os textos dadaístas são claros, objetivos e foram uma escola importante no início do século XX contrapondo os parnasianos com textos rebuscados se colocando acima dos demais artistas.

Marcel Duchamp realizou uma das obras simbolo do movimento e que hoje tem grande importancia cultural: O Urinol. Marcel levou um urinol de louça a categoria de arte utilizando o objeto para descrever uma forma estética que achava interessante. Em 1993 um homem urinou na peça, em 2003 moralistas tentaram quebrá-la e em 2006 um homem atacou a peça com um martelo.




Pode não ser uma grande obra de arte, mas acredito que mexe com o inconsciente de alguma forma.

O dadaímo e o surrealismo se cruzam no Anarquismo pelo caráter individualista e libertário. Lembrando que nenhuma dessas expressões artísticas exaltam a agressividade, nem a belicidade. Apontam apenas para um conhecimento humano maior e o aproveitamento do mundo pelo indivíduo e do indivíduo pelo mundo.
A linguagem universal dessas obras é outro ponto a se considerar, levando ao patamar de arte mundial e não somente ocidental.

A confluência simbólica das obras remetem a uma intimidade ora perturbadora, ora reconhecida e seu respeito pela pluralidade e sua democratização a faz arte de todos, assim como a Anarquia é um sistema de governo de todos.

1 Comments:

Anonymous Tatolinux said...

Esqueceu-se o caro amigo de epigrafar que tal movimento tinha também como uma de suas premissas se opor a primeira guerra mundial. confesso ser totalmente ignorante no tocante a arte, quer seja ela Surrealista, conceitual ou expressionismo abstrato. Creio que eu seja mais que ignorante, a ponto de me tornar imune a tais movimentos, considerando-os como respostas para perguntas que não foram feitas.... Abraços

7:36 AM  

Postar um comentário

<< Home