Acéfalos: Quando você pensa que chegou no fundo do poço...

segunda-feira, setembro 4

Quando você pensa que chegou no fundo do poço...

Estamos cada vez mais próximos da eleição, e o que vemos é um fenômeno interessante:
Quanto mais o tempo passa mais a popularidade do presidente sobe. Como isso é possível? Esse não foi o governo da corrupção?
Aliás, não conheço ninguém que declare seu voto ao Lula. Como ele possui tal indice, tanto de aprovação de governo, quanto de intenção de voto?

A resposta é simples:
Nos últimos tempos só vemos notícias positivas do governo perante a rotina diária do cidadão: oferta de vagas recorde pelo Pró Uni; diminuição dos impostos para ítens da Cesta Básica e produtos de construção civil; Bolsa família; ampliação da oferta de álcool nas bombas; controle da inflação; controle do dólar mantendo o poder de compra da população, etc.

Como o brasileiro pensa no imediatismo, ele não põe na balança a quantidade de dinheiro que foi desviado ou a quantidade de denúncias de corrupção por esse governo, porque, no final das contas, sua vida está normal, não quer mudar.

Nenhum candidato defendeu uma tese diferente da que temos hoje. O máximo prometido foi diminuição de impostos (mas quem paga imposto*)! Quem pensa no imposto que consome nos produtos! O povo não entende essa linguagem, e por isso não é cativado pelos outros candidatos.

Diga-se de passagem, não temos nenhum candidato com carisma, trajetória política ou de vida que salte aos olhos do povo.

Concluindo: Lula não tem um opositor a altura, o maior inimigo é o próprio Lula, com seus erros de governo e escândalos desmascarados, mas na iminência de ter se que escolher outro candidato, prefere-se manter o que tem aí.

* 100 milhões de brasileiros sequer tem saneamento básico(Dados da campanha de Geraldo Alckmin), estão abaixo da linha da pobreza vivendo de agronomia de subsistência, outros tantos milhões vivem na informalidade sonegando impostos o que eles querem com a baixa de juros ou de impostos!!!

1 Comments:

Anonymous Tatolinux said...

Duas épocas a se odiar: Natal e Eleição. Épocas "reflexivas" são decididamente as mais tétricas. Nesse assunto não penso, não me apronfundo, não cogito e nem conjecturo. Ou seja, sou tão brasileiro qto a maioria o é. Sigo o dito: "O que não tem remédio, remediado está!" O Brasil com seus problemas, que são maiores do que outros paises, e menores se comparados ao mundo. Não, não acho que seja o Brasil, e nem o mundo, a raça em si está decadente. Afe, qta divagação, e quão longe ela foi. Escrever sobre isso não conserta, mas, faça a sua parte, nao pare de escrever. Abraços

5:31 AM  

Postar um comentário

<< Home